[ editar artigo]

Como treinar professores para ensinar em curso online?

Como treinar professores para ensinar em curso online?

Treinar professores para ensinar, através da linguagem do curso ou treinamento online, é relevante diante o cenário atual.

Aqui, trago uma sugestão de práticas capazes de qualificar o corpo docente ou profissionais liberais usando a linguagem virtual, independente da área ou contexto técnico.

São práticas necessárias do ponto de vista didático que trarão condições para os professores ou facilitadores a experiência de transmissão do conhecimento de forma mais eficiente.

É fato que tivemos oportunidades perdidas durante a pandemia. Inclusive, há postagem aqui no blog capaz de dar a você uma melhor noção sobre esse contexto.

Professores são agentes da transformação

É fato que os educadores, facilitadores, instrumentadores do ensino são os agentes de transformação. São eles que abordam o conhecimento, justamente, com o objetivo de ensinar.

Segundo a Experiência de Aprendizagem Modificada, de Reuven Feuerstein:

"a relação humana possibilitadora dos processos de ensino-aprendizagem é sempre baseada na mediação interpessoal. Defende a ideia segundo a qual o desenvolvimento humano é decorrente de experiências de aprendizagem mediada (EAM) que podem existir naturalmente ou serem criadas intencionalmente por um mediador capacitado. Segundo ele, a mediação* é característica da espécie, pode ser exercida por todos, desde a mais tenra idade, e caracteriza-se por ações interpostas entre o sujeito e os objetos que estimulam sua curiosidade e seu pensamento".

trecho retirado do artigo "Aplicabilidade da teoria da experiência da aprendizagem mediada de Reuven Feuerstein na educação a distância", veiculado na Revista da Associação Brasileira de Psicopedagogia, autoria de

Julia Eugênia Gonçalves e Terezinha Richart.

Certamente, você pode se aprofundar no artigo acima, pois ele traz a fundamentação de experiências online à luz do conhecimento formulado pelo educador israelense Feuerstein.

Desta forma, use essa sugestão como um guia para também adaptar suas estratégias como produtor de curso online ou até coordenador de alguma instituição de ensino, independente do grau ou área.

Como treinar professores para experiência e-learning?

  1. Ofereça aos professores treinamento assíncrono;
  2. Use a microaprendizagem;
  3. Use temas para incentivar a jornada de aprendizado;
  4. Incentive a observação dos pares sobre outras experiências instrumentais;
  5. Crie experiências colaborativas;
  6. Crie uma comunidade virtual;
  7. Incentive os professores a serem agentes da transformação;
  8. Não corte a autonomia assistida dos professores;
  9. Incentive adaptações de acordo com as áreas do conhecimento;
  10. Disponibilize a eles treinamentos em curso online.

A partir deste pequeno resumo, há de se compreender mais a fundo o que cada item representa.

1) Ofereça aos professores treinamento assíncrono

Entre notas, papelada, reuniões e muito mais – sem sequer considerar suas vidas pessoais – os professores estão sobrecarregados com sua carga de trabalho.

No entanto, a rotina de se atualizar ou especializar intelectualmente é essencial ao longo de sua carreira docente. Por isso, precisamos de uma solução que se encaixe na agenda para treinar professores. 

O treinamento assíncrono é uma alternativa que garante que os professores aprendam quando acharem adequado e ainda acompanhem dinâmicas didáticas que já estão nas interações presenciais.

Ter uma parte do treinamento presencial e parte online também pode ser uma boa solução. Essa abordagem mista beneficia os professores de duas maneiras: uma, em relação à falta de tempo, com os professores aprendendo em seu próprio ritmo de forma assíncrona, e a outra, em relação à necessidade de interação social com os colegas e aprender em primeira mão como aplicar um novo método em sala de aula .

Além disso, há possibilidades de se disponibilizar materiais com os professores recebendo recursos on-line de forma antecedente e discutindo-os pessoalmente. 

2) Use a microaprendizagem

As tendências e métodos de ensino estão em desenvolvimento contínuo, por isso os professores precisam acompanhar as mudanças.

Mas todos sabemos que o inimigo número um dos professores é o tempo, o que significa que temos que considerar alternativas para manter os professores informados sem sobrecarregá-los. 

Dividir tópicos maiores em micro-aulas de 5 a 10 minutos pode ajudar os professores a aprender mais rápido.

Desta forma, você também pode privilegiar professores que já tiveram experiências anteriores e não precisam entrar em contato com certos campos de aprendizados mais técnicos ou mecânicos, sob a luz da experiência didática.

Permita que os professores optem por não participar de algumas dessas lições e escolham o que precisam aprender.

3) Use temas para incentivar a jornada de aprendizado

Exigir que os professores aprendam coisas diferentes ao mesmo tempo pode ser contraproducente.

Hospedar meses temáticos é uma solução. Por exemplo, janeiro pode ser sobre aprender a usar mecanismos de gamificação na aula, fevereiro pode ser sobre saúde e segurança e março pode ser dedicado exclusivamente a projetos multicontextualizados, e assim por diante.

A oferta de treinamento é semelhante ao aprendizado baseado em módulos, onde os professores se concentram em um assunto de cada vez e não precisam aprender tudo de uma vez.

Inevitavelmente, os temas também estimulam a intersecção de tranversalidade do conhecimento. Afinal de contas, não é isso que fundamenta, hoje em dia, a aplicação do ENEM?

4) Incentive a observação dos pares sobre outras experiências instrumentais

Informação é crucial, mas pode ser inútil se os professores não a implementarem em suas salas de aula.

Praticar mudanças de comportamento é, naturalmente, desafiador. Por isso, incentivar observação dos pares também ajuda a implementação de uma certa rotina didática.

Neste aspecto, a modelação e o espelhamento contribuem beneficamente para a construção de um ambiente colaborativo entre os professores. Afinal de contas, não é fácil mudar paradigmas.

Uma boa alternativa é disponibilizar a prática em formato online. Mesmo que seja online, observar o trabalho de um colega professor fornece informações valiosas sobre outras abordagens de ensino. 

Por exemplo, professores mais experientes podem gravar suas aulas (presencial ou online) e carregá-las no sistema de gerenciamento de aprendizagem da escola, para que qualquer professor possa vê-las e aprender - mesmo que a aula original tenha ocorrido um ou dois anos atrás.

5) Crie experiências colaborativas

Os professores aprendem melhor quando têm oportunidades de colaboração.

Seja presencial ou on-line, as experiências colaborativas promovem o crescimento profissional em um nível mais profundo, pois a experiência dos colegas pode compensar a lacuna entre as informações fornecidas pelo programa de treinamento e o nível real de especialização dos professores.

O uso de ferramentas online para facilitar essas experiências colaborativas também contribui para a sustentabilidade ao longo do tempo.

Certamente, a escolha de uma plataforma genuína à interação e comportamento colaborativo faz com que os aspectos conflituosos da quebra de paradigmas possa ser diminuído.

Criar comunidades virtuais são ótimas estratégias para construir interação.

6) Crie uma comunidade virtual

Criar uma comunidade virtual, com ferramentas didáticas, processos técnicos e tecnológicos acessíveis e de fácil interação responsiva, dá suporte para todo o processo aqui sugerido.

Minha indicação neste aspecto é essa plataforma ao qual uso para dar materialização ao meu propósito de transformação.

A Squid Comunidades traz diversas soluções didáticas, ambiente colaborativo, comunidade pública ou fechada, além de uma série de ferramentas analíticas, didáticas e de postagem de aulas em ambiente exclusivo.

Pronto. Vendi o peixe do meu parceiro. Agora é com você. Veja se as experiências lhe agradam e mãos à obra.

7) Incentive os professores a serem agentes da transformação

Por mais que os professores já estejam em ambiente altruísta por natureza, sempre é bom reforçar os discursos propositivos para uma busca mais madura no exercício da missão educadora.

Por isso, incentive.

Use artigos, leituras, livros, revistas, blogs, ciência e novidades pra trazer mais conteúdo e treinar professores. É legal também criar rotina de conversas sobre isso. Eu uso essas experiências para fundamentar o meu livro sobre amadurecimento intelectual em ambientes de trabalho.

O livro "A Linguagem da Corporação" traz essa perspectiva prática sobre rotinas para a amadurecimento intelectual a partir da instrumentalização da comunicação.

8) Não corte a autonomia assistida dos professores

O ambiente de organização didática, hoje em dia, é muito engessado, mesmo que não aparente. Raros são os ambientes que dão liberdade expressiva ao professor, principalmente no conteúdo didático proposto.

Mesmo com essas limitações, é importante os gestores darem suporte e não cortarem certa autonomia assistida dos educadores.

Autonomia assistida é um termo que representa autonomia de ações e dinâmicas, porém, não livre de supervisão. Desta forma, compreender os limites e o que é de interesse da organização deve ser estabelecida como um combinado.

Os professores podem se sentir incompreendidos e encurralados com uma série de programas irrelevantes que (além de consumirem tempo) são inúteis a longo prazo. 

É melhor para eles quando podem escolher a maioria ou todas as sessões de treinamento porque conhecem suas necessidades. Também é gratificante sentir que eles são ouvidos e sua voz é importante. Quando os professores têm uma escolha, eles estarão mais engajados em seu treinamento e mais propensos a seguir adiante. 

Faça os professores participarem dos combinados que estabelecem limites. Eles terão mais condições de compreender os objetivos didáticos pré-determinados e compartilharão a missão proposta.

9) Incentive adaptações de acordo com as áreas do conhecimento

Não dá pra você abordar o processo didático em todas as áreas do conhecimento sem compreender que deve haver adaptações.

Ensinar um conhecimento prático não necessariamente precisa ser abordado tal como um conhecimento teórico. Há adaptações a serem feitas. Por isso, peça ajuda aos próprios professores.

Mesmo em prática de aprendizado sobre a linguagem virtual, os professores trazem suas experiências e acertos no ambiente presencial. Assim, você trará o mediador que há neles para a realização da proposta de transformação.

Deixe que os professores tragam sugestões para adaptações nas experiências virtuais e negocie com eles a viabilização de suas sugestões.

10) Disponibilize a eles treinamentos em curso online

Uma ótima forma de criar um ambiente de aprendizado contínuo é disponibilizar as aulas do treinamento via online. Afinal de contas, o processo metafísico precisa ser aplicado.

Professores não tem tanto tempo, como foi dito antes nesta mesma postagem. Inevitavelmente, eles precisarão de dinâmicas versáteis para manter um ritmo de amadurecimento prático.

Além de você dar a eles o conhecimento, também demonstra crer na linguagem para atender a demanda didática.

Por isso, crie também treinamentos práticos dispostos em linguagem elearning. É um ambiente que pode ser atualizado, disponibilizado para o acesso a qualquer momento e da forma mais confortável ao aluno/professor.

Treinamento Online também abre para extensão de conhecimento

Qualquer programa de desenvolvimento profissional deve encontrar uma maneira de continuar o impacto do treinamento.

Sem atividades de acompanhamento é irrelevante determinadas jornadas didáticas, pois os professores não implementarão o que aprenderam ou nem se incomodarão se não tiver um propósito específico. 

Organizar discussões on-line ou feedback sobre a implementação das noções que foram ensinadas acionará responsabilidade e tornará o aprendizado relevante. Isso significa que o programa de treinamento tem um objetivo final reconhecível, que pode ser analisado e aprimorado.

Use isso para treinar professores e trazer mais qualificação na linguagem virtual.

Conclusão

Obviamente, estas sugestões estão muito voltadas ao gestor, ao produtor de curso online.

Nesta perspectiva, há um grupo, uma equipe que está disposta a criar um ambiente de amadurecimento sobre as estratégias de elearning. Assim, estas sugestões podem lhe dar num curto prazo grandes mudanças positivas.

No vídeo abaixo, também trago sugestões de comportamentos para ajudar a prática de ser professor em cursos online ou até treinamento online. Aproveite e pratique estes conhecimentos didáticos.

 

Como Criar Curso Online
Rafael Cardoso
Rafael Cardoso Seguir

Produtor de cursos e treinamentos online, educador, escritor e comunicador experiente.

Ler conteúdo completo
Indicados para você