[ editar artigo]

Você se sente uma fraude? A culpa não é sua

Você se sente uma fraude? A culpa não é sua

Você é uma fraude! Pode até ser duro esse pensamento, mas você está fazendo isso nesse momento consigo. Até quando?

A grande sacada é perceber se isso pode ser verdade ou não. Só o fato de você estar lendo este texto já demonstra sua preocupação. Portanto, você não é uma fraude.

Muitos professores, coach’s, facilitadores, mediadores, mentores e palestrantes se encontram nesse processo.

Gravar e produzir cursos online pode ser uma grande oportunidade perdida quando você está com a sensação de fraude.

Afinal de contas, não conseguem produzir seus cursos online porque se acham sempre pouco preparados.

Dificuldades de se sentir preparado

Agora faça uma reflexão e poste aqui nos comentários deste texto.

Você se sente sempre despreparado quando é convidado para realizar um projeto relativo a ensino?

Você se sente sempre inseguro sobre aquilo que possa ser caracterizado de “novo”?

Você está sempre com dificuldades de manter uma opinião no meio de argumentos conflituosos?

Você muda muito de plano quando prospecta sonhos e objetivos?

Essas perguntas sempre estão permeando o nosso pensamento. Não há problema sobre isso. No entanto, aquilo que se torna uma neura pode lhe prejudicar, imediatamente.

Quando a fraude toma conta do profissional

Tal como dito, anteriormente, o pensamento permeado pela sensação de fraude tende a construir capacidades analíticas inseguras.

Certamente, as pessoas que se sentem uma fraude também têm dificuldades de tomar decisões simples, inclusive, escolher a roupa para trabalhar.

Escolhas fáceis ficam difíceis. A sua capacidade de resiliência fica fragilizada e a sensação depressiva é o futuro a curto prazo.

A sua chance de adquirir a liberdade financeira

Aquilo que poderia ser a sua chance para adquirir a sonhada liberdade financeira, fica cada vez mais distante ao se sentir uma fraude sobre aquilo que você domina como conhecimento.

Há, hoje em dia, muitos profissionais que poderiam usufruir de seu próprio negócio online, ou seja, conquistar sua emancipação financeira livre de qualquer instituição de ensino ou outro segmento.

No entanto, tal condição é intangível aos olhos destes mesmos profissionais. Resta saber o porquê disso.

Obviamente, há muitos outros fatores que impedem os profissionais de produzirem seus cursos e treinamentos online. Porém, aquele que sempre está presente neste contexto é a sensação de se sentir uma fraude ou nunca estar, realmente, preparado.

A Síndrome do Impostor

A Síndrome do Impostor, termo que foi usado pela primeira vez pelos psicólogos Suzanna Imes e Pauline Rose Clance, na década de 1970; foi introduzido, originalmente, para se aplicar, principalmente, para mulheres de alto desempenho.

Desde então, tem sido reconhecida como uma síndrome psicossomática que revela potências de agir peculiares.

A Síndrome do Impostor trava inúmeras oportunidades para o produtor de cursos online

Veja como cerca de 40% das pessoas com alto índice de sucesso; pela média de pesquisas realizadas ao redor do mundo, demonstra características qualificadores do estado de fraude aparente.

Portanto, a Síndrome do Impostor é fenômeno psicológico de intensos sentimentos de insegurança, causando nas pessoas o desconforto de se sentir uma fraude, seja em sua vida pessoal ou profissional, embora seja mais freqüentemente o último.

Acredita-se que essa mentalidade seja, particularmente, prevalece mais em jovens, com uma pesquisa de 2017, afirmando que um terço da geração do milênio tem Síndrome do Impostor por se sentir intimidada no ambiente de trabalho.

Quais são os sintomas?

A síndrome do impostor não é um distúrbio psiquiátrico, oficialmente reconhecido, mas os pesquisadores sugerem que existem alguns sintomas comuns, que incluem altos níveis de ansiedade, dúvidas sobre as próprias realizações, frustração e baixa auto-estima.

Certamente, é bastante comum as pessoas com síndrome do impostor se depararem com pensamentos como “eu me sinto falso” e “não mereço esse emprego”.

Como você pode combatê-lo?

Em seu estudo, Clance e Imes aconselham as pessoas que lutam contra a síndrome do impostor a procurar terapia, pois isso pode ajudar a identificar de onde vêm as ansiedades de uma pessoa sobre ela mesma.

Em um post no blog da Psychology Today , o professor e autor Andy Molinksy sugere fazer o melhor para mudar as percepções negativas que você tem de si mesmo, e encontrar consolo sabendo que seus colegas podem estar tendo dúvidas semelhantes.

Dica incrível para tentar evitar a Síndrome do Impostor

Para superar a síndrome do impostor, você precisa começar a se fazer algumas perguntas difíceis. Eles podem incluir coisas como as seguintes:

  • Que crenças básicas eu tenho sobre mim mesmo?
  • Eu acredito que sou digno de amor como sou?
  • Devo ser perfeito para os outros me aprovarem?

O perfeccionismo desempenha um papel significativo na síndrome do impostor. Você pode pensar que há algum “roteiro” perfeito para conversas e que você não pode dizer a coisa errada.

Provavelmente, você tem dificuldade em pedir ajuda de outras pessoas e pode procrastinar devido a seus próprios padrões elevados. Com que frequência você adia a ligação telefônica até a “hora certa”?

Neste vídeo eu falo sobre o exercício de pedir ajuda. Este movimento faz você começar a mudar as perspectivas de seu pensamento e fortalecer sua potência de agir, conforme Cláudio de Barros Filho comenta sempre em suas palestras.

Humildade não é sensação de não estar preparado

Veja o exemplo de Platão. Um cânone da filosofia que propagava pensamentos ordenados pela experiência de suas análises existenciais pelos ensinamentos de Sócrates.

Platão, que apresentou à humanidade a alegoria da caverna. Platão, que até hoje é uma referência literária sobre o berço da autorreflexão, era na verdade um pedreiro.

Platão, cânone da filosofia apresentou à humanidade a alegoria da caverna. Ele que se tivesse a sensação de ser uma fraude, não exercitaria a humildade para deixar seu legado.

Humilde pelo ofício, Platão demonstrou que sua percepção sobre a sua realidade não era algo tangível de valor social. Por isso, ele dava valor ao seu processo reflexivo, mas não ao seu estado social.

Obviamente, a ascensão social era ser um pensador na Grécia Antiga, mas era menor que o ato de ser soldado. No entanto, Platão não foi impedido de deixar um legado à humanidade.

Pelo contrário.

Platão deixou o princípio da filosofia tal como fundamental a sociedade contemporânea. Portanto, a sensação de humildade não impediu o mundo de conhecer o legado do grego.

A novidade é que a culpa não é sua

Mesmo percebendo em você determinado grau de protagonismo, o que você sente não é culpa sua. Isso porque a sociedade é corrosiva por natureza. Sim, nós fazemos mal a nós mesmos.

A percepção de negatividade, explorada por Pedro Calabrez em um vídeo ao canal de Rafinha Bastos, traz uma discussão rica sobre essa percepção natural da negatividade. Assista.

 

canal no YouTube de Rafinha Bastos traz o papo descontraído com o professor da USP, Pedro Calabrez, também produtor de conteúdo no YouTube com o canal Neurovox.

As pessoas querem se apaixonar por você

O fato é este. Quanto mais você evita ou protela a produção de seu curso online, mais há pessoas que poderiam estar criando empatia por você e por suas ofertas de infoprodutos.

Quando você se desata desta dificuldade, a produção de seu curso online fica bem mais fácil de ser executada. E vamos além disso.

A construção de seu negócio online, baseado no lançamento de seu curso online é a consequência de uma incrível potência de agir.

Certamente, sua capacidade de realização terá mais forças e você enxergará na sua frente as consequências positivas de sua força de produção de conteúdo e de cursos online.

Como Criar Curso Online
Rafael Cardoso
Rafael Cardoso Seguir

Um cidadão que deixou de ser passivo para trazer luz e ambiente à discussão social e político.

Ler conteúdo completo
Indicados para você